• Informe-se
  • Notícias do MPT/AL
  • Procuradora do MPT palestra sobre direitos humanos e ética de comportamento em lançamento do programa “Trabalho, Justiça e Cidadania”

Procuradora do MPT palestra sobre direitos humanos e ética de comportamento em lançamento do programa “Trabalho, Justiça e Cidadania”

Iniciativa da Anamatra e da Amatra19 aborda valores para educação de crianças e adolescentes

Maceió/AL - Convidada para realizar a palestra de abertura da nova edição do programa Trabalho, Justiça e Cidadania (TJC), nesta quarta-feira (25), a procuradora do Ministério Público do Trabalho (MPT) em Alagoas Rosemeire Lôbo integra mais uma vez a equipe responsável pela Formação de Facilitadores nas áreas de direitos humanos e ética de comportamento. A Associação dos Magistrados da Justiça do Trabalho da 19ª Região (Amatra 19) é responsável pela coordenação local da iniciativa.

Em sua exposição, a procuradora do Trabalho abordou os direitos humanos e a ética de comportamento sob a perspectiva dos valores do programa, que são respeito, honestidade, igualdade, trabalho, justiça, solidariedade e paz, diante de uma plateia formada por magistrados, pedagogos, professores, assistentes sociais e servidores públicos. Rosemeire Lôbo destacou que a honestidade, por exemplo, não está apenas relacionada ao não roubar, mas também à transparência no posicionamento sobre dada questão.

"Ser honesto é também ter a coragem de dar opinião. Quando você consegue dizer o sim ou não com doçura, tranquilidade e serenidade, esse valor honestidade atrai outro valor, que é o reconhecimento moral positivo dos demais. Porque o outro sabe como você foi corajoso expressando sua opinião. Veja como um valor vai atraindo o outro. A igualdade, por exemplo, não pode ser vista apenas sob o aspecto jurídico de tratamento dos desiguais na medida de sua desiguladade, mas, também, sob a perspectiva dos Direitos Humanos", explicou a procuradora do MPT.

Procuradora do Trabalho abordou direitos humanos e ética de comportamento em palestra (Foto: Ascom/Rafael Barreto)
Procuradora do Trabalho abordou direitos humanos e ética de comportamento em palestra (Foto: Ascom/Rafael Barreto)

A coordenadora social da Amatra19, juíza doTrabalho Adriana Oliveira, ressaltou a necessidade de vivenciar os valores defendidos pelo programa para empreender a formação dos jovens: "Sem vivência, troca ou exemplicar a ideia desse valores, a gente não faz mudança alguma da sociedade". A magistrada comemorou o ingresso de estudantes do curso de Direito da Universidade Federal de Alagoas, que atuarão como facilitadores do TJC nas escolas.

A capacitação ocorreu no auditório da Escola Judicial do Tribunal Regional do Trabalho de Alagoas (TRT/AL) e teve como público-alvo os profissionais da educação e servidores interessados em participar do projeto. O curso terá certificação de oito horas.

TJC

O TJC é uma iniciativa da Associação Nacional dos Magistrados da Justiça do Trabalho (Anamatra) e busca promover a aproximação entre o Poder Judiciário e a sociedade, estabelecendo o diálogo dos magistrados com professores e alunos de escolas públicas. Além de executar o programa em Maceió, a Amatra19 desenvolve, em paralelo, o projeto Educação em Valores, promovendo o conhecimento de valores que fundamentam a vivência dos direitos.

A formação teve como público-alvo profissionais da educação e servidores (Foto:Ascom/Rafael Barreto)
A formação teve como público-alvo profissionais da educação e servidores (Foto:Ascom/Rafael Barreto)

“Considero importante o trabalho conjunto da Anamatra e da Amatra19 no sentido de integrarem-se à instituição escola para consolidar valores necessários ao desenvolvimento de crianças e adolescentes e, consequentemente, todos atuarem pelo bem-estar social”, destacou a procuradora do Trabalho Rosimeire Lôbo.

Na primeira etapa da capacitação, os facilitadores participaram de debates, oficinas e palestras com temas relacionados aos Direitos Humanos e a Ética de Comportamento. As palestras serão ministradas pela procuradora do Trabalho de Alagoas e membro do Fórum de Combate à Corrupção, Rosemeire Lobo; e pela coordenadora do curso de Direito da Universidade Federal de Alagoas (Ufal), Elaine Pimentel. A segunda parte da formação acontecerá nos dias 11 e 12 de julho.

Novidades

Dentre as novidades deste ano, está o número de escolas assistidas e a parceira com a Ufal. O TJC integrará um curso de extensão da Faculdade de Direito (FDA) e contará com a participação dos alunos, sob a coordenação do desembargador do Trabalho e professor João Leite de Arruda Alencar.

Amatra 19 é responsável pela coordenação local da iniciativa (Foto: Ascom/Rafael Barreto)
Amatra 19 é responsável pela coordenação local da iniciativa (Foto: Ascom/Rafael Barreto)

“Esperamos que as parcerias formadas, dentre elas empresas e instituições, possam multiplicar as dimensões do Projeto, ampliando as possibilidades de ação. Esse ano são quatro escolas públicas a serem abrangidas, numa média de 300 alunos”, disse a coordenadora de ação social da Amatra, juíza do Trabalho Adriana Oliveira.

Participam do projeto em 2018, as escolas municipais João XXIII, do Jacintinho; Profª Maria José Carrascosa, do Poço; Profº Cícero Dué, do Tabuleiro dos Martins; e Luiza Suruagy, do bairro do Ouro Preto.

 

Imprimir