• Informe-se
  • Notícias do MPT/AL
  • Ministério Público do Trabalho instaura inquérito para apurar morte de trabalhador em explosão

Ministério Público do Trabalho instaura inquérito para apurar morte de trabalhador em explosão

Instituição fará levantamento da situação do ambiente laboral da empresa para saber o nível do risco a que os trabalhadores estão sendo submetidos; empresa foi notificada a prestar esclarecimentos

Maceió/AL – O Ministério Público do Trabalho(MPT) instaurou inquérito civil para apurar a morte de um trabalhador, ocorrida na manhã de ontem, 27, na parte alta de Maceió, após um tanque de combustível explodir quando a vítima manuseava um maçarico. A instituição verificou que o trabalhador laborava sob risco iminente de acidente, já que, segundo informações iniciais apuradas pela imprensa, o tanque possuía resíduos de material inflamável.

A procuradora do Trabalho Rosemeire Lobo, responsável pela investigação, afirmou que as providências já estão sendo tomadas e que o importante é buscar a reparação das irregularidades e a prevenção de situações, inclusive de acidentes futuros, que possam colocar em risco os trabalhadores do local. “Designamos um perito do Trabalho para realizar avaliação na empresa, estamos fazendo o levantamento da situação, da quantidade de funcionários que laboram no local e da entrega de Equipamentos de Proteção Individual a esses trabalhadores, para saber o nível do risco a que estão sendo submetidos”, disse Rosemeire.

Para o procurador-chefe do MPT em Alagoas, Rafael Gazzaneo, é imprescindível e é obrigação do empregador oferecer todas as condições necessárias para o trabalhador laborar em um ambiente seguro. “O momento é de verificar, de fato, todas as condições de saúde e segurança dos empregados da empresa para evitar que outra tragédia aconteça. O Ministério Público do Trabalho continuará atuando com rigor para evitar acidentes de trabalho e buscará a responsabilização dos empregadores que cometerem irregularidades”, ressaltou.

A empresa, identificada pelo nome de Serv Truck Implementos Agrícolas e Rodoviários, foi intimada para se manifestar sobre o acidente no prazo mínimo de 10 dias após a realização de inspeção pelo Ministério Público do Trabalho. Segundo informações do Cadastro Geral de Empregados e Desempregados, o Caged, a empresa possuía, em janeiro deste ano, 16 empregados registrados.

O MPT deve solicitar ao Corpo de Bombeiros o relatório da perícia realizada no local e outros documentos às demais autoridades competentes, para reunir o máximo possível de provas sobre o caso.

Imprimir