• denuncias
  • peticionamento
  • Mediação
  • mov procedimentos
  • autenticidade de documentos
  • administracao publica
  • fraudes trabalhistas
  • liberdade sindical
  • meio ambiente
  • promocao igualdade
  • trabalho escravo
  • trabalho infantil
  • trabalho portuario
    • CORONAO 01
    • carrossel-servicos-online
    • MPT-coronavirus-denuncias
    • MPT-audiencia-epis-saude
    • Rafael Gazzaneo MPT
    • Denúncias trabalhistas relacionadas ao coronavírus em Alagoas chegam a 65
    • Coronavírus: MPT e sindicatos de saúde discutem soluções diante da falta de EPIs no setor público
    • Regras da MP 927 irão desproteger trabalhadores, afirma procurador-chefe do MPT em Alagoas

    Denúncias trabalhistas relacionadas ao coronavírus em Alagoas chegam a 65

    Levantamento feito pelo MPT mostra que há casos de aglomeração, trabalhadores sendo proibidos de utilizar máscaras, exposição de empregados do grupo de risco, dentre outras irregularidades

    Maceió/AL – O Ministério Público do Trabalho (MPT) já recebeu, até a manhã desta sexta-feira, 27, o total de 65 denúncias de irregularidades trabalhistas em Alagoas decorrentes da pandemia do coronavírus (Covid-19). O levantamento realizado pela instituição mostra que os casos foram recebidos no período de apenas 10 dias.

    Imprimir

    Coronavírus: MPT e sindicatos de saúde discutem soluções diante da falta de EPIs no setor público

    Procurador-chefe Rafael Gazzaneo recomendou que profissionais reúnam a maior quantidade de provas para que denúncia possa ser protocolada

    Maceió/AL - O Ministério Público do Trabalho (MPT) em Alagoas realizou mais uma audiência em caráter excepcional, nesta quinta-feira, 26, desta vez para discutir soluções diante da falta de equipamentos de proteção individual (EPIs) no setor público de saúde. Representantes dos sindicatos dos médicos, dos odontologistas e de enfermeiros apresentaram o pleito ao procurador-chefe Rafael Gazzaneo.

    Imprimir

    Regras da MP 927 irão desproteger trabalhadores, afirma procurador-chefe do MPT em Alagoas

    Rafael Gazzaneo explicou que instituição vê com preocupação a redução de salários dos trabalhadores e a possibilidade de negociação individual com o empregador; para Gazzaneo, governo precisa abandonar ideias ortodoxas e encontrar soluções heterodoxas compatíveis com a situação de emergência sanitária

    Maceió/AL – No último domingo, 22, o governo federal publicou a Medida Provisória (MP) 927, que traz uma série de medidas trabalhistas a serem adotadas pelos empregadores durante a situação de calamidade pública decretada no país, em virtude da pandemia do coronavírus. O Ministério Público do Trabalho (MPT) em Alagoas vê a MP com preocupação e alerta que alguns dos seus itens irão desproteger os trabalhadores.

    Imprimir

    MPT e entidades de saúde discutem suspensão de creche na Santa Casa de Maceió

    Procurador-chefe Rafael Gazzaneo recomendou que hospital ofereça incentivo financeiro aos trabalhadores, para que possam pagar a um profissional para cuidar de seus filhos em casa; proposta busca reduzir os riscos de contágio ao coronavírus

    Maceió/AL – O Ministério Público do Trabalho (MPT) recomendou, nesta terça-feira, 24, que a Santa Casa de Misericórdia de Maceió ofereça algum tipo de incentivo financeiro aos trabalhadores que possuem filhos pequenos, para que um profissional possa cuidar das crianças em casa. A medida foi proposta pelo procurador-chefe do MPT, Rafael Gazzaneo, durante uma audiência realizada de forma excepcional, a pedido da Santa Casa, diante da preocupação de que o funcionamento da creche na unidade oferece risco de contágio ao coronavírus. 

    Imprimir

    • banner pcdlegal
    • banner abnt
    • banner corrupcao
    • banner mptambiental
    • banner transparencia
    • banner radio
    • banner videos
    • banner podcast
    • banner trabalholegal
    • Portal de Direitos Coletivos